Buscar
  • André Magalhães

O SALGADO PREÇO DA DOR DE DENTE

O Brasil é o país que mais tem dentistas no mundo - são 260 mil -, mas, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), 55,6% dos brasileiros não se consultam anualmente. A recomendação dos dentistas é de que as consultas sejam semestrais. 


Por qual motivo mais da metade dos brasileiros não visitam o dentista regularmente?

Os motivos vão desde a dificuldade em acesso nas redes públicas, passando pelos preços dos procedimentos na rede particular, inacessíveis a grande parte da população, até o famoso perfil reativo do brasileiro, que na sua grande maioria, procura o dentista somente quando sente dor.


Seja por qual for o motivo, essa demora para visitar o dentista tem um preço... E quase sempre salgado. Quanto mais tempo passar, fatalmente mais procedimentos terão que ser realizados. Levando-se em consideração que a grande maioria dos brasileiros só vão ao dentista quando sentem dor, e devido a dor, o atendimento tem que ser imediato, já fica de fora aí, o atendimento público, uma vez que quase sempre a fila de espera é bem grande. Sendo assim, não tem como fugir de gastar algum (ou muito) dinheiro para resolver o problema causado pela dor.


E o tamanho da conta varia de região para região... Extrações podem custar até R$ 500,00, tratamento de canal, até R$ 700,00, obturação, até R$ 400,00, e por aí vai. E estamos mencionando apenas o valor de um procedimento. Mas há casos que serão necessários mais de um procedimento para cessar a dor. E a conta só aumenta...


E qual o remédio para se livrar ou pelo menos amenizar essas "pancadas" financeiras desferidas pela famosa dor de dente??


Existem alguns remédios bem eficazes:


- Manter hábitos saudáveis de escovação e uso do fio dental após cada refeição

- Visitar semestralmente o dentista

- Contratar um bom plano odontológico


A terceira opção é um opção bem interessante e econômica, já que os planos odontológicos tem um rol bem extenso de procedimentos (rol obrigatório por lei) e se encaixa perfeitamente em qualquer perfil de brasileiro. Seja´aquele que tem bons hábitos, que visitam regularmente o dentista ou aquele que só vai ao dentista quando sente dor.


O plano odontológico custa pouco e é uma inteligente forma de "parcelar" uma conta futura que todos fatalmente terão no dentista. Um ano de mensalidades de um bom plano odontológico, pode custar menos que a conta de um simples tratamento de canal. E quando se pensa em um plano familiar ou empresarial, esses valores caem a níveis surpreendentemente baixos, sem burocracia para contratação (familiar a partir de 3 vidas e empresarial a partir de 2 vidas, inclusive para MEI com mais de 6 meses de funcionamento).


Vale a pena pesquisar sobre o assunto. Buscar empresas sólidas e sérias com boa rede de atendimento. Existem inclusive opções com valores um pouco mais altos, mas com coberturas além do rol obrigatório da ANS (Agência Nacional de Saúde), como manutenção de aparelhos, clareamento e próteses, que podem encaixar-se em qualquer tipo de perfil e necessidade.


Ao contrário do plano de saúde, que devido aos preços, acaba se tornando inacessível para grande parte da população, com os planos odontológicos acontece justamente o contrário. É acessível e interessante como forma de prevenção a gastos imprevisíveis que podem comprometer a saúde econômica da família brasileira.








19 visualizações
© 2017 por Lapis Bellus Administradora e Corretora de Seguros Ltda